Calvície Feminina – Causas, Efeitos, Tratamento.

0

Escrito por Combinandinho | arquivado em Beleza, Cuidados, Estética | publicado em 14-04-2011

Esse mal que acomete determinadas mulheres pode causar até a baixa da auto-estima, depressão ou qualquer outro distúrbio psicológico,  já que para elas, o cabelo é item essencial para uma boa imagem pessoal. 

A queda de cabelo nas mulheres também conhecida como alopecia pode acontecer devido a fatores, como pós-parto, anemia, pílulas anteconcepcionais, distúrbio da tireóide, dieta pobre em proteínas, uso de medicamentos que podem causar efeito colateral, cosméticos usados incorretamente, infecção por fungos, infecções e febre, alopécia areata (uma roda que fica sem cabelos no couro cabeludo), com causa desconhecida.

A calvície hereditária é chamada de alopecia androgenética e pode começar na adolescência.
Outras causas podem ser queda por pressão, onde os cabelos sofrem danos devido a alisamentos, ou o uso contínuo de certos acessórios, como elásticos ou chapéus apertados. Abusar do  secador de cabelos, alcolismo, tabagismo, quimeoterapia e radioterapia, lúpus (doença rara onde os anticorpos atacam o próprio organismo).

Estresse orgânico ou psíquico, é um dos fatores mais diagnosticado, mas se for passageiro, o crescimento é espontâneo sem a necessidade de tratamento.

Para iniciar o tramento a recomendação é procurar um dermatologista, endocrinologista e ginecologista para fazer um estudo das causas da queda, que podem ser várias ao mesmo tempo e assim poder corrigí-las.

Atividades físicas são essenciais para reverter o quadro da calvície e em casos onde os sintomas são fáceis de reverter, como alimentação deficiente de vitaminas, alguns cosméticos usados como alidados no tratamento, possuem efeitos positivos.

Alguns medicamentos e cosméticos recomendados:

Finasterida –, usada por homens e não recomendada para mulheres principalmente se quiser engravidar;

Minoxidil – é um vasodilatador que facilita o crescimento do cabelo. Foi o primeiro produto a ser aprovado para o tratamento de alopecia androgenética.
Comumente, o Minoxidil é apresentado em duas concentrações: 2% e 5%. Estudos comprovam que a solução de 5% proporciona um efeito mais amplo e rápido que a solução de 2%; e pode ser usada tanto em homens como em mulheres.
É aplicado via tópica sobre o couro cabeludo, em dose 1 ml, duas vezes ao dia. A loção deve ser distribuída uniformemente sobre as áreas de maior necessidade, através de massagens cutâneas feitas com as pontas dos dedos. O uso deve ser regular e contínuo para manter a eficácia;

Pantogar – – Eficácia documentada em estudos que afirmam diminuição significativa da queda e estimulo do crescimento dos fios com qualidade e resistência;

Cetoconazol – Xampu antifúngico também usado para reduzir o excesso de oleosidade;

Pill Food – suplemento alimentar, também benéfico pra pele e unhas além dos cabelos;

Complexos Vitamínicos – Se usado em conjunto com outro tratamento promove crescimento rapidamente de fios “mais vitaminados”;

Espironolactona/Flutamida – Só para mulheres que não estão gestantes, também usado no tratamento da acne, com resultados após o terceiro mês;

Gel Transdérmico FF – loção à base de finasterida e flutamida, no couro cabeludo age apenas nos cabelos presentes e não no crescimento de novos fios;

Serenoa Repens – Extrato de uma palmeira, é um fitoterápico com ação similar a da Finasterida;

Laser de Baixa Intensidade – Recupera os fios e combate a seborréia e a caspa. Antiinflamatório para dermatites, a tratamento é através de um aparelho em clínicas especializadas;

– Anticoncepcionais – Em casos de alopecia androgenética feminina de origem hereditária, é preciso recorrer a anticoncepcionais que contêm a sustância acetato de ciproterona. Esta substância inibe a influência dos hormônios andrógenos (hormônios masculinos), além de reduzir a função excessiva das glândulas sebáceas. São estas glândulas que causam a seborréia —responsável por grande parte dos casos de queda de cabelos.
O acetato de ciproterona pode ser encontrado em anticonceptionais como Diane 35 e Yasmin. No caso do Diane 35, a queda começa a melhorar a partir do terceiro mês de terapia.

fonte: Beleza e Saúde

Blog Widget by LinkWithin

Deixe um comentario!